13 de maio de 2018


então... como disse para um amigo mais cedo: eu tô bem. bem mesmo. sei dos desafios que tenho que  tenho que enfrentar, principalmente nas áreas profissional e afetiva e estou consciente da forma que como devo pensar e agir.

estabeleci como "resoluções" para esse ano: 1) me permitir; 2) ficar bem independente do que acontecesse; 3) começar terapia e 4) manter o botão do foda-se ligado. por incrível que pareça, está funcionando.

sempre tive a sensação de estar sentada numa pedra enquanto todos ao meu redor "evoluíam" ou pelo menos saíam do lugar, ainda que isso não significasse avanço. sempre me peguei revivendo situações over and over and over again. ciclos dos quais eu não conseguia sair. como ter resultados diferentes repetindo o mesmo padrão de comportamento?

ando menos reclamona e mais direta nas minhas colocações. tô aprendendo que posso ter momentos sozinha, mas não preciso ser sozinha. e a vida tem me presenteado com pessoas maravilhosas. nesse processo, algumas pessoas se foram. sei lá, talvez ficaram o tempo que era preciso ficar. outras eu mesma tratei de expulsar. as vezes o afastamento emocional não é suficiente, é preciso afastar-se fisicamente também. teve gente que voltou (hey n.!) e tudo ficou ainda melhor.

é bem clichê, mas a vida muda quando a gente muda.


22 de abril de 2018